terça-feira, 30 de dezembro de 2014

A classificação do cante como património cultural imaterial da humanidade

Aproveitando algum tempo livre só possível devido à temporada festiva que atravessamos, e também o ambiente de balanço que caracteriza os finais de ano, é possível ir repondo no blogue alguns temas que o buliço dos dias nos impediram de o fazer na altura devida.

Um deles foi a classificação do cante alentejano como património cultural imaterial da humanidade, o que aconteceu  no passado dia 27 de Novembro, na sede da UNESCO em Paris.

Como não podia deixar de ser, o Projecto Outeiro do Circo congratulou-se bastante com este acontecimento, até porque durante as actividades do projecto são várias as interrelações com o cante através do Grupo Coral de Mombeja. Esta relação tem-se concretizado através da integração das actuações do grupo em algumas iniciativas levadas a cabo pelo Projecto, nomeadamente durante a realização de visitas de grupo ao Outeiro do Circo, que incluem sempre que é possível uma componente onde se dá a conhecer aquilo que de melhor se produz na região (gastronomia, artesanato e restante património imaterial).


Mais recentemente, uma actividade integrada no Dia Mundial do Turismo contou não só com a participação do grupo de Mombeja, mas também com o de Santa Vitória.


Como homenagem recuperamos um vídeo disponibilizado anteriormente neste blogue (27 de Maio de 2010). A montagem foi realizada por Nélson Salvador e a música é, como não podia deixar de ser, do Grupo Coral de Mombeja.

video

sábado, 27 de dezembro de 2014

Relatório sobre a conferência de Ana Osório na Associação Arqueológica do Algarve

Tuesday 02 Dec 2014 - Ana Osório - Experimental insights on pottery interpretation
In the summer of 2013 Ana Osorio received a grant from the AAA that helped fund experimental workshops to study the production of patterned burnished pottery from the Late Bronze Age/Early Iron Age. As an introduction Ana explained the increasing importance of experimental work to archaeologists so they can better understand the materials, techniques and use of the objects found in excavations. In her talk Ana showed how her students firstly made pottery copying the techniques used at the time – coils and slabs. They also tried to imitate the styles and designs of these early pots. Some of the students had never made pottery in this way before and so the resulting ceramics varied quite a lot. When the pottery was dry it was then fired in a simple kiln dug into the ground and covered with turf. The heat inside the kiln was monitored using thermocouples and it was found that the internal temperature although quite low adequate firing was achieved. The question then was would these low-fired pots withstand the heat required to boil water and cook food? This was something Ana’s University professor did not think would be possible. However Ana was thrilled to report that it was entirely possible and the group went on to enjoy a meal of rabbit and beans. Evidence of pottery sherds from excavations can also show that pottery had in the past been repaired and reused. So the students deliberately broke some of their pots and tested out a variety of materials to repair them. 
Ana’s presentation was very professional and she spoke with great enthusiasm. She also thanked the AAA for the help we were able to give in this important project.
Their work can be seen on http://outeirodocirco.blogspot.pt/
Retirado de: http://www.arqueoalgarve.org/6.html

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

1º Forum Museus, Empresas e Associações de Arqueologia

Já se encontra disponível a apresentação do Projeto Outeiro do Circo efetuada no 1º Forum - Museus, Empresas e Associações de Arqueologia. Dinâmicas e Problemáticas Sociais na Gestão da Arqueologia em Portugal. 
A conferência intitulada "Algumas experiências de divulgação da arqueologia em ambiente de salvaguarda e investigação" dividiu-se em duas temáticas distintas, uma centrada num exemplo de um trabalho de arqueologia preventivo realizado em meio empresarial. O segundo tema foi subordinado à divulgação arqueológica em investigação através do exemplo do programa de educação patrimonial desenvolvido no Outeiro do Circo.
É esta segunda temática que pode ser visualizada no seguinte link da revista online Ângulo Repositório Didáctico, da responsabilidade do Centro de Pré-história do Instituto Politécnico de Tomar: http://www.cph.ipt.pt/?pagina=unidade_editorial_e_didactica&seccao=revista_-angulo_-_repositorio_didactico-&media=monografia&lang=PT&id=143#media

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Conferência na Associação Arqueológica do Algarve

No próximo dia 2 de Dezembro será apresentada a conferência "Experimental insights on pottery interpretation" por Ana Osório, colaboradora do Projeto Outeiro do Circo na área da arqueometria sobre cerâmica.
Esta conferência surge no seguimento do Projeto "You make, I break, we glue. Ethnography and experimental insights on pottery interpretation" ocorrido no Instituto de Arqueologia da Universidade de Coimbra, que também assumiu as funções de entidade organizadora, em Maio de 2013 e que contou com o financiamento da Associação Arqueológica do Algarve e o apoio do CEMUC - Centro de Engenharia Mecânica da Universidade de Coimbra e do CEAUCP - Centro de Estudos Arqueológicos das Universidades de Coimbra e Porto.
A apresentação terá lugar em dois lugares no mesmo dia:
- Museu do Traje (São Brás de Alportel): 15:00
- Convento de São José (Lagoa): 19:15
 
Resumo:
Tuesday 02 Dec 2014 - Ana Osório - Experimental insights on pottery interpretation
During a research project, supported by an AAA grant, to study the production of patterned burnished pottery from the Late Bronze Age/Iron Age 1 within the SW Iberian peninsular, an experimental approach was undertaken to better understand the material under study. Experimental archaeology is an important tool as it enables the researcher to question and compare earlier results and interpretations and here in the case of pottery, through ‘imitation’ techniques a better understanding of original materials used, methods of production, use and reuse can be achieved.
So, to answer these questions, several tests were carried out – in clay shaping, firing and reuse. Although simple, the results of these experiments provided interesting clues to question earlier interpretations and to give a clearer understanding of the techniques of pottery production used during the Prehistoric period.
Ana is an archaeologist and materials researcher having a PhD from Coimbra University. The subject of her PhD was the study of burnished pottery in S. Iberia from the Late Bronze Age and Early Iron Age. She is also interested in the study of early metal and glass manufacture. Experimental archaeology is also of interest to her and alongside the ‘Projecto Outeiro do Circo’ she organized experimental pottery workshops open to the public and in doing so stressed the relationship between the archaeological record, analytical information, experiments and interpretation. Their work can be seen on http://outeirodocirco.blogspot.pt/

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Balanço da participação no 1º Fórum - Museus, Empresas, Associações de Arqueologia - Mação

 
A participação do Projeto Outeiro do Circo no 1º Fórum - Museus, Empresas e Associações de Arqueologia foi bastante positiva, desde logo pela grande variedade de experiências de divulgação da arqueologia que foram apresentadas e pela natural qualidade das intervenções, que se constituíram como uma verdadeira aprendizagem.
A apresentação do Projeto Outeiro do Circo, a cargo de Eduardo Porfírio, centrou-se no Programa de Educação Patrimonial em curso desde 2008, e que tem permitido divulgar junto de diversos públicos os resultados obtidos na investigação arqueológica deste grande povoado do Bronze Final.
Foram mostrados exemplos de diversas iniciativas de divulgação, devidamente contextualizadas nos objetivos do Programa de Educação Patrimonial, destacando-se em particular três esferas de atuação: local, regional e nacional.
 
Em breve estará disponível no site da revista online Repositório Didático, do Centro de Pré-História do Instituto Politécnico de Tomar, o power point desta apresentação.
Link da revista Repositório Didático:

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Imprensa

Notícia da Rádio Pax sobre a participação do Projeto Outeiro do Circo no 1º Forum - Museus, Empresas, Associações de Arqueologia ocorrido no passado dia 18 de Novembro em Mação.
Link: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=5568
Noticiário: http://www.radiopax.com/index.php?go=programas&programa=19&id=937 (a partir do minuto 13:35)

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

1º Fórum - Museus, Empresas e Associações de Arqueologia.

 
O Projeto Outeiro do Circo estará presente no "1º Fórum - Museus, Empresas e Associações de Arqueologia. Dinâmicas e Problemáticas Sociais na Gestão da Arqueologia em Portugal" através de uma comunicação a cargo de Eduardo Porfírio e Miguel Serra sobre divulgação do património arqueológico em meio empresarial e de investigação, centrada nas ações desenvolvidas pela empresa Palimpsesto e no programa de Educação Patrimonial desenvolvido no Outeiro do Circo.
 
Aqui fica o link para o evento: http://www.ipt.pt/forum-cph/
 
Resumo:
Algumas experiências de divulgação da arqueologia em ambiente de salvaguarda e investigação.
Miguel Serra e Eduardo Porfírio*
 
A concretização de ações de divulgação do património arqueológico em meio comercial, nomeadamente no âmbito da realização de trabalhos de minimização de impactes arqueológicos, afigura-se muitas vezes como uma tarefa difícil, quer pela própria natureza da atividade quer pela falta de diálogo entre os intervenientes. Muitos dos promotores que contratam serviços de arqueologia continuam a ver nesta atividade um “mal necessário” ao qual estão obrigados por imposições legais, atitude que pode criar sérios obstáculos à promoção dos dados obtidos, neste tipo de trabalhos arqueológicos, junto do grande público.
Por outro lado, a divulgação no seio da vertente de investigação ligada a projetos arqueológicos devidamente programados é alvo de um maior interesse por parte das entidades apoiantes, maioritariamente de cariz público, como forma de promoverem o potencial atrativo das regiões onde se inserem estes projetos.
Na presente comunicação iremos mostrar alguns exemplos práticos de formas e discursos de divulgação generalista do património arqueológico encontrados no âmbito da atividade comercial da empresa Palimpsesto e da sua articulação com um programa estruturado de comunicação com o público e de educação patrimonial levado a cabo num projeto de investigação científica no qual a Palimpsesto surge como parte ativa, utilizando esta experiência como aprendizagem para consolidar novas abordagens de fruição pública em âmbito comercial.
 
Palavras-chave: Divulgação; Arqueologia; Salvaguarda; Investigação; Educação Patrimonial
 
* Palimpsesto

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Poster: Vestígios calcolíticos do povoado do Outeiro do Circo (Beja)

Poster a apresentar ao VIII Encontro de Arqueologia do Sudoeste Peninsular (Serpa - Aroche, 24 a 26 de Outubro 2014)
 
 

terça-feira, 7 de outubro de 2014

VIII Encontro de Arqueologia do Sudoeste Peninsular

 
O Projeto Outeiro do Circo estará presente no VIII Encontro de Arqueologia do Sudoeste Peninsular a realizar em Serpa e Aroche nos próximos dias 24, 25 e 26 de Outubro com o seguinte poster:
Vestígios Calcolíticos do povoado do Outeiro do Circo (Beja)
Autores:
Miguel Serra (Arqueólogo. Projeto Outeiro do Circo. Palimpsesto, Lda. Mail: miguelserra@palimpsesto.pt)
Eduardo Porfírio (Arqueólogo. Projeto Outeiro do Circo. Palimpsesto, Lda. Mail: eduardoporfirio@palimpsesto.pt)
Sofia Silva (Arqueóloga. Projeto Outeiro do Circo. Mail: sofiaeiras22@gmail.com)
Sofia Soares (Geóloga. Projeto Outeiro do Circo. Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Beja. Mail: sofia.soares@ipbeja.pt)
Helena Reis (Arqueóloga. Mail: hreis@campus.ul.pt)
 
Resumo
O povoado do Outeiro do Circo foi desde sempre relacionado com uma ocupação centrada no Bronze Final, que recentemente se viu comprovada por datações radiométricas associadas à construção do vasto sistema defensivo que o rodeia. Para além desta fase alguns autores procuraram ver aí possibilidades de ocupação posteriores, nomeadamente da I Idade do Ferro, que ainda não foi atestada no sítio, quer devido à invulgar dimensão que este povoado ostenta dentro do quadro regional da Idade do Bronze, quer pelos vários sítios, sobretudo necrópoles, da Idade do Ferro escavados nos últimos anos que se localizam nas suas imediações.
No entanto sobre a hipótese de uma ocupação mais recuada nunca surgiram referências claras, o que se justifica por uma escassez de dados com ela relacionada.
As escavações arqueológicas empreendidas entre 2008 e 2013 no âmbito do projeto de investigação “A transição Bronze Final / I Idade do Ferro no Sul de Portugal: o caso do Outeiro do Circo” documentaram uma complexa muralha atribuída ao Bronze Final e diversos níveis arqueológicos relacionados com a sua construção que demonstram uma profunda alteração da zona de encosta que dificilmente permitiria perceber a existência de eventuais ocupações anteriores.
No entanto, o estudo dos materiais exumados revelou a presença de diversos elementos que nos permitem colocar a hipótese de ter existido uma ocupação do período calcolítico que ainda necessita de ser devidamente documentada em futuras intervenções a realizar noutros locais dentro deste povoado.
Os materiais que podem ser adscritos a esta fase anterior encontram-se dispersos por diversas unidades estratigráficas da sondagem 1, o que comprova o forte revolvimento sofrido na encosta onde se viria a implantar a muralha.
Estes artefactos, agora apresentados, são numericamente residuais quando observados à luz das mais de 11000 recolhas inventariadas, mas possibilitam, em alguns casos, uma clara integração num qualquer momento dentro do calcolítico.
São compostos por algumas peças cerâmicas, nomeadamente uma colher, um fragmento de queijeira, um pequeno bordo decorado com decoração incisa e puncionada ou um recipiente carenado de perfil troncocónico, mas também por escassos elementos de uma indústria lítica que se destaca das produções mais frequentes no Bronze Final, como atestado pela presença de fragmentos de lâminas e lamelas ou outros elementos como um possível braçal de arqueiro.
Existem ainda outros elementos presentes que se tornam difíceis de inserir claramente num período cronológico concreto, mas que há luz destes dados deverão ser analisados de forma mais abrangente, como por exemplo um fragmento de conta de colar em variscite ou alguns artefactos macrolíticos com longa diacronia de utilização.
Para além da apresentação dos materiais referidos, pretende-se ainda lançar alguns cenários sobre a possível ocupação calcolítica do Outeiro do Circo devidamente integrada no quadro regional.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Idade do Bronze do Sudoeste

A equipa do Projeto Outeiro do Circo tem o prazer de anunciar que foi publicado o livro "Idade do Bronze do Sudoeste - Novas perspetivas sobre uma velha problemática", uma edição conjunta da empresa de arqueologia Palimpsesto, do Instituto de Arqueologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e do CEAACP, coordenada por Raquel Vilaça e Miguel Serra.
Esta publicação conta com vários artigos dedicados ao Projeto Outeiro do Circo, como a síntese de Miguel Serra, responsável científico do projeto, sobre o Bronze Final na envolvência do Outeiro do Circo, o ensaio de Raquel Vilaça, consultora científica do projeto, sobre a região de Beja na viragem do ano mil a.C. e o trabalho de Sofia Silva, colaboradora do projeto, sobre a componente cerâmica recolhida nas escavações do Outeiro do Circo.
O volume integral encontra-se disponível para download no site:
Em breve os artigos mencionados também ficarão disponíveis na página da bibliografia deste blogue através do perfil do Projeto Outeiro do Circo em academia.edu.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Jornadas Europeias do Património e Dia Mundial do Turismo: balanço

As Jornadas Europeias do Património e o Dia Mundial do Turismo comemorados em Beja foram marcados por diversas iniciativas ligadas ao Projeto Outeiro do Circo.
Assim, no dia 26 de Setembro e no âmbito das Jornadas Europeias do Património, houve lugar a uma conferência sobre a componente de Educação Patrimonial do Projeto Outeiro do Circo, que teve lugar no largo do Núcleo Museológico do Sembrano, seguida de uma visita noturna aos vestígios arqueológicos aí existentes bem como à exposição temporária sobre o Outeiro do Circo e que contou com 15 participantes.
 

 No dia seguinte e já no âmbito do Dia Mundial do Turismo foi a vez de uma visita guiada ao Outeiro do Circo para cerca de 50 pessoas e que para além da componente arqueológica teve também em destaque as condições geológicas da região onde se insere o povoado do Outeiro do Circo, que foram sendo reveladas ao longo de um percurso pedestre até à aldeia de Mombeja.

Chegados a Mombeja os participantes foram brindados com mostras de artesanato local e com a possibilidade de contactar diretamente com os artesãos, para além de algumas provas gastronómicas ao som do cante alentejano que ficou a cargo do Grupo Coral Misto de Mombeja.
Para terminar, houve lugar a mais uma sessão de cante, desta vez com atuação do Grupo Coral Feminino de Santa Vitória, para logo de seguida se iniciar a degustação de diversos produtos gastronómicos da região, como o queijo, os enchidos, o presunto, a doçaria, o pão e o vinho.




Da parte da equipa do Projeto Outeiro do Circo resta-nos agradecer à Câmara Municipal de Beja pelo convite para representar o concelho de Beja nestas comemorações e a todos os que de algum modo se envolveram na organização das iniciativas bem como a todos os que manifestaram interesse em participar, esperando apenas que tenha sido uma experiência agradável e que se possa repetir noutras ocasiões.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Entrevista sobre o Outeiro do Circo


Pode ouvir na íntegra a entrevista de Miguel Serra, um dos responsáveis científicos do Projeto Outeiro do Circo, no programa Preto no Branco da Rádio Voz da Planície.
A entrevista, conduzida por Ana Freitas, centrou-se em temas como a participação deste projeto arqueológico nas comemorações das Jornadas Europeias do Património e do Dia Mundial do Turismo em Beja e em diversos aspetos ligados à investigação em curso neste povoado da Idade do Bronze situado no concelho de Beja.

domingo, 28 de setembro de 2014

Imprensa

Destaques da Rádio Voz da Planície sobre a participação do Projeto Outeiro do Circo nas Jornadas Europeias do Património e no Dia Mundial do Turismo em Beja:
- http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?go=noticias&id=3953
- http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?go=noticias&id=3966

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Projeto Outeiro do Circo em destaque no programa Preto no Branco

 
O Projeto Outeiro do Circo será o tema em destaque no programa Preto no Branco da Rádio Voz da Planície com entrevista a Miguel Serra, arqueólogo responsável pelo projeto de investigação.
Para ouvir a partir das 18:00 de dia 25 de Setembro em 104.5FM (Beja) ou na emissão online (http://www.vozdaplanicie.pt).
Mais informações em: http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?go=noticias&id=3938

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Modelo tridimensional da Rocha com "covinhas" do Outeiro do Circo

Graças ao trabalho do Gonçalo Ferreira (um dos voluntários da campanha deste ano) é possível disponibilizar um modelo tridimensional do afloramento com "covinhas" do Outeiro do Circo. Podem encontrar este e outros trabalhos do Gonçalo aqui.



    Gravuras Outeiro do Circo
    by goncalo.ferreira
    on Sketchfab


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Jornadas Europeias do Património e Dia Mundial do Turismo

Jornadas Europeias do Património:
Conferência: Projeto Outeiro do Circo - Educação Patrimonial, Turismo e Arqueologia.
Apresentada por Eduardo Porfírio (Palimpsesto/CEAACP).
Resumo:
O projeto de investigação arqueológica desenvolvido no povoado da Idade do Bronze do Outeiro do Circo (Beja) contempla uma vertente dedicada à Educação Patrimonial, como forma de transmissão do conhecimento científico produzido junto do público em geral. Esta conferência pretende clarificar este conceito de junto do público, demonstrando a sua adequação prática no caso do Projeto Outeiro do Circo. Serão abordados os principais objetivos desta vertente e mostrados diversos exemplos de algumas atividades realizadas. Também se pretende demonstrar a importância desta forma de atuação para o envolvimento das comunidades locais com a investigação arqueológica, bem como explorar a sua potencialidade em termos da captação de novos públicos, sobretudo através de iniciativas integradas com outras mais-valias regionais.
 
Dia Mundial do Turismo:
Visita e percurso pedestre: Outeiro do Circo - Investigação para a comunidade.
Visita guiada por Miguel Serra (Palimpsesto/CEAACP) e Sofia Soares (ESTIG-IPB).
Resumo:
O percurso sugerido inicia-se com a visita ao povoado da Idade do Bronze do Outeiro do Circo para dar a conhecer, não só o sítio arqueológico, mas também o projeto de investigação em curso e o seu potencial em termos de desenvolvimento local. A grande visibilidade que se obtém a partir do Outeiro do Circo será o ponto de partida para explicar as transformações sofridas na paisagem envolvente e explicar o território ao longo dos tempos. Segue-se um percurso pedestre entre o Outeiro do Circo e a aldeia de Mombeja para destacar diversos aspetos desta zona, como os recursos geológicos, o potencial agrícola dos solos dos Barros de Beja ou a importância da captação de água ao longo da Falha da Messejana. A jornada conclui-se em Mombeja com uma receção destinada a mostrar o que de melhor esta região produz, desde o artesanato até à gastronomia, servindo também para os participantes degustarem diversos produtos locais ao som do Cante Alentejano através da atuação de grupos locais.
 
As duas iniciativas sugeridas complementam-se e pretendem mostrar de forma clara o contributo que a investigação arqueológica em curso pode permitir para gerar um maior interesse pela região, articulando-se com iniciativas específicas e com diversas áreas de interesse locais.