quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Vídeo Outeiro do Circo

O Projecto Arqueológico Outeiro do Circo continua a ser alvo das mais diversas formas de divulgação, por vezes de modo inesperado e até alheado da programação definida pela equipa responsável.
Desta vez partilhamos um vídeo elaborado por Ana Costa, estudante de Beja, que visitou as escavações arqueológicas realizadas em Agosto de 2016 e resolveu fazer um pequeno vídeo onde contou a sua experiência. A Ana, conhecida pelos seus vídeos no youtube como Anna Pêra, tem uma paixão pela imagem e vídeo e foi assim que nos deixou o seu contributo pessoal sobre a forma como viu os trabalhos no Outeiro do Circo.


sábado, 5 de novembro de 2016

12 Lugares, 12 Meses, 12 Histórias - São Matias

A penúltima sessão do projecto "12 Lugares, 12 Meses, 12 Histórias - A Idade do Bronze na região de Beja" decorreu nos dias 4 e 5 de Novembro na freguesia de São Matias. O primeiro dia foi dedicado à realização de uma conferência onde se pretendeu destacar os três sítios arqueológicos da Idade do Bronze conhecidos neste território. Na Casa do Povo de São Matias, onde decorreu a apresentação, estiveram presentes 14 pessoas que proporcionaram um debate bastante participado.



No segundo dia foi a vez do habitual percurso pedestre que propunha uma caminhada de 9 km, iniciada no concelho da Cuba e finalizada na aldeia de São Matias no concelho de Beja. 
Os 47 participantes puderam assim atravessar um território pontuado por diversas ribeiras e barrancos, devidamente preenchidas com água que caiu nos dias anteriores, que quebram um pouco a monotonia de uma paisagem essencialmente plana.





No Monte da Apariça houve lugar a uma breve explicação sobre a natureza dos sítios arqueológicos descobertos neste território, descrevendo-se os vestígios existentes nos povoados abertos da Idade do Bronze de Monte da Apariça 3, São Matias e Covas 1. 




Em seguida retomou-se o caminho em direcção a São Matias onde nos foi proporcionado um momento de são convívio entre um repasto oferecido pela junta de freguesia na Casa do Povo onde também se pôde apreciar os painéis expositivos relativos ao tema abordado.
Aqui fica o nosso agradecimento à Junta de Freguesia de São Matias pelo acolhimento e apoio prestados e à Câmara Municipal de Beja por garantir o sucesso de mais uma edição deste projecto.


Em Dezembro será a vez da freguesia de Nossa Senhora das Neves que acolherá a sessão final deste projecto iniciado em Janeiro de 2016 e que assim chegará ao fim do seu périplo de 12 meses.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Reportagem Mais Alentejo

Reportagem da jornalista Ângela Marques para a revista Mais Alentejo (edição de Novembro) sobre o Projecto Outeiro do Circo.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Ainda a propósito de pedras com "covinhas"

O recente post colocado neste blogue sobre as pedras com "covinhas" do Outeiro do Circo (ver aqui) gerou um movimento acima do esperado, registando-se até ao momento 1389 visualizações de páginas e um alcance de 3355 pessoas no facebook.
Mas mais importante ainda foi o facto deste assunto ter merecido alguma discussão e comentários de grande interesse que provam que o desconhecimento que este tipo de manifestação encerra geram um certo entusiasmo e dão lugar a todo o tipo de interpretações.
São conhecidas desde há muito hipóteses que pretendem ver nas rochas gravadas com "covinhas" todo o tipo de sugestões como representações astronómicas, jogos de tabuleiro primitivos, locais de preparação de libações, suportes para outros objectos entre muitas outras.
No entanto, o breve post publicado motivou um dos nossos leitores a enviar-nos uma interpretação diferente e da qual desconhecíamos por inteiro e que julgamos suficientemente pertinente e interessante para aqui partilhar na íntegra como forma de demonstrar que o conhecimento destas realidades deve permanecer aberto a todo o tipo de discussões devidamente argumentadas.
Aqui fica pois o comentário completo que nos foi enviado e devidamente ilustrado com uma foto:

Olá Miguel
Tudo bem?
Tive oportunidade de ler e ver imagens sobre a "Pedra das covinhas". Imediatamente, me lembrei desta fotografia que te envio que o meu irmão tirou no Quénia. Trata-se de uma rocha com cerca de 1,5m de altura (a olho) no Quénia, utilizada ainda hoje por tribos cuja actividade pastoril é a base da comunidade, para chamar à distância os pastores e o gado. Tal chamamento faz-se por percussão das pedras mais pequenas (que podes observar) na rocha grande originando as depressões em tudo idênticas às da Pedra das Covinhas.
Duvido que esse caso seja o mesmo mas achei curioso e decidi enviar-te.

Abraço
João

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Objectos e produção de bronze e ouro no Outeiro do Circo

O conjunto de artefactos metálicos até ao momento recolhidos no povoado do Bronze Final do Outeiro do Circo (Beja) é bastante residual mas revelam uma metalurgia algo antiga dentro do quadro do sudoeste ibérico durante este período. Enquadram-se dentro dos séculos XII - XI a.C., antecedendo em cerca de dois séculos as datações obtidas para vestígios metalúrgicos de outros sítios como Entre Águas 5 (Serpa) e Casarão da Mesquita 3 (Évora) (Valério et al. 2013).
O primeiro elemento metálico descoberto foi um cinzel, surgido em prospecções efectuadas por Rui Parreira e António Monte Soares (Parreira e Soares 1980) e que mais tarde seria alvo de caracterização por fluorescência de raios-X em conjunto com outros artefactos metálicos da Idade do Bronze do Sul de Portugal (Soares et al. 1996).
Cinzel (foto de Dinis Cortes)

Anos mais tarde recolheram-se novas evidências, desta vez em contexto de escavação arqueológica, no âmbito de um projecto de investigação desenvolvido entre 2008 e 2013.
A série analisada era composta por três artefactos (anel, argola e brinco/pendente), dois nódulos e um fragmento de cone de fundição para além de um fragmento de um cadinho cerâmico com vestígios de metal no interior que se veio a comprovar ser ouro.
Os contextos destes metais foram datados por radiocarbono o que permitiu inseri-los no último quartel do II milénio a.C.
As peças metálicas analisadas enquadram-se nos dados conhecidos para a metalurgia deste período no Sul de Portugal que é caracterizada pela presença de bronzes binários com teores apropriados de estanho. Apenas uma peça (anel) revelou um reduzido teor em estanho, provavelmente devido à utilização de sucata para o seu fabrico.
A descoberta deste pequeno conjunto de materiais veio atestar a metalurgia do bronze e do ouro no espaço interno do povoado do Outeiro do Circo constituindo os dados mais antigos destas produções durante o Bronze Final e comprovando pela primeira vez a metalurgia do ouro com vestígios de produção em povoados do sudoeste neste período (Valério et al. 2013).
Conjunto de metais do Outeiro do Circo (Valério et al. 2013)

Bibliografia:
Parreira, R. e Soares, A. M. (1980), Zu einigen bronzezeitlichen Hohensiedlungen in Sudportugal. Madrider Mitteilungen, 21, Madrid, pp. 109-130.
Soares, A. M., Araújo, M. F., Alves, L. e Ferraz, M. T. (1996), Vestígios metalúrgicos em contextos do Calcolítico e da Idade do Bronze no Sul de Portugal. Lisboa: Miscellanea em homenagem ao Professor Bairrão Oleiro. Edições Colibir, pp. 553-579.
Valério, P., Soares, A. M., Araújo, M. F.,Silva, R., Porfírio, E. e Serra, M., (2013), Estudo de metais e vestígios de produção do povoado fortificado do Bronze Final do Outeiro do Circo (Beja). Arqueologia em Portugal 150 anos – Atas do I Congresso da Associação dos Arqueólogos Portugueses, 21 a 24 de Novembro de 2013, Biblioteca Nacional de Portugal, Lisboa, pp. 609 – 615.